O dia em que comemoramos a nossa escravidão

Imagem

Hoje, 1º de maio, é comemorado o dia dos trabalhores, milhares de pessoas estão nas ruas comemorando a sua escravidão.

Muito se engana quem acha que a escravidão acabou. A elite mundial percebeu que um escravo dava muito mais prejuízo para eles do que um trabalhor. A libertação dos escravos no mundo todo não foi um ato de humanidade, foi um ato puramente econômico. Os trabalhadores possuem a “livre” escolha e competem entre si em busca de um emprego que lhe garantirão o sustento no final do mês.

E assim,  nasceu a alienação pelo trabalho, as crianças desde bem pequenas são estimuladas a já escolherem uma profissão. Por que, em vez de perguntarmos qual a profissão que elas exercerão, não perguntamos como querem estar no futuro?

As escolas fazem o seu papel de fabricar profissinais tecnocratas, qualificados em seus ofícios, mas com pouco senso crítico, devem ser disciplinados para cumprir horários e tarefas diárias, mas sem capacidade de questionar e sem energia para quererem mudar a sua servidão.


A elite mundial sempre buscou estabilidade social, a idéia do trabalho atual é essa, nos fazem amar aquilo que somos obrigados a fazer. Trabalhamos cerca de 40 anos  em empregos que odiamos, apenas para pagar as contas, prestação do carro, casa, celulares e etc. Complicaram tanto as nossas vidas que somos obrigados a trabalhar para sobreviver, pois muitas coisas só são possíveis com dinheiro, até mesmo as mais essenciais,  portanto, a escravidão moderna está na busca por ter mais e mais dinheiro, enquanto que os verdadeiros livres são os que conseguem viver sem essa neura de ficar rico e adquirir bens.

“Os homens perdem a saúde para juntar dinheiro, depois perdem o dinheiro para recuperar a saúde.
E por pensarem ansiosamente no futuro esquecem do presente de forma que acabam por não viver nem no presente nem no futuro. E vivem como se nunca fossem morrer… e morrem como se nunca tivessem vivido.
Dalai Lama

Fonte: http://www.corrosivo.com.br/2013/05/01/o-dia-em-que-comemoramos-a-nossa-escravidao/

Recomendamos também:

Anúncios
Etiquetado , , , , , , , ,

2 pensamentos sobre “O dia em que comemoramos a nossa escravidão

  1. Anônimo disse:

    Eu superei “essa neura de ficar rico e adquirir bens”, mas não me sinto ‘verdadeiramente livre’… Isto porquê precisarei trabalhar simplesmente para continuar vivo, para continuar em condições de trabalhar; só para fazer a manutenção necessária em meu corpo para que eu possa ser explorado outra vez no dia seguinte. Tenho a perspectiva de que minha vida acabará quando eu for trabalhar, mas não consegui encontrar alternativas ainda. Vocês já?

    A propósito, porquê o site de vocês não permite comentários verdadeiramente anônimos? Acredito que o anonimato na internet é algo extremamente importante.

    • MerdTV disse:

      Acredito que é difícil sair totalmente do sistema, de uma certa forma ou outra somos obrigados a nos sujeitar a nos escravizar pra sobreviver.

      Viver sem a neura de se tornar rico pode ser um ótimo caminho para ter uma vida melhor.

      Acredito na vida simples.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: